Revisão preventiva: por que e quando realizar no meu carro?

30 de maio de 2018Dicas

Para inibir dores de cabeça e gastos desnecessários, a revisão preventiva deve ser realizada em seu automóvel a cada seis meses e numa oficina de confiança

O brasileiro é um dos grandes apaixonados por automóveis, isso é fato. Porém, o que muitos não sabem é que é extremamente necessário fazer a revisão preventiva do veículo para evitar problemas futuros que possam causar dores de cabeça ainda maiores ao proprietário; além de custos altíssimos ao bolso do cliente. No caso de um automóvel, a revisão preventiva é importante para evitar desgastes nos principais componentes que integram o conjunto do veículo. Entre as mais importantes delas, o conjunto de suspensão; os freios; a direção e alguns componentes fundamentais do motor. Desta forma, você consegue minimizar os problemas que são considerados “normais” devido ao uso constante do carro.

Por que realizar a revisão preventiva?

A revisão preventiva é capaz de apontar as reais condições de funcionamento do conjunto mecânico do veículo e evitar o desgaste excessivo dos componentes. O próprio nome já fala:  manutenção tem como intenção prevenir (no caso, problemas maiores) e realizar “algo por antecipação”.

Como exemplo, neste tipo de manutenção é checado o óleo lubrificante do motor. Este item é responsável pela lubrificação dos componentes internos do motor, evitando o atrito entre eles; além de promover a limpeza de parte do aparato e atuar como agente de vedação, protegendo contra oxidação e impedindo que outro elemento externo entre no motor e contamine o sistema.

Caso o óleo lubrificante esteja em más condições ou ainda com nível baixo demais (promovido pela evaporação durante a combustão e também pela ligeira perda ao se misturar com parte do combustível); ele poderá aumentar o desgaste das peças do motor devido ao maior atrito, superaquecer o conjunto e aumentar o consumo de combustível, por exemplo.

Além da maior preocupação com gastos ainda maiores, a revisão preventiva serve para garantir a segurança do condutor; demais ocupantes e também de terceiros. Afinal, ainda usando um exemplo, o sistema de freios com desgaste pode dificultar a ação de frenagem de um veículo; fazendo com que ele não consiga desempenhar a sua real função em caso de emergência.

Quais itens são checados numa revisão preventiva?

São diversos os itens que costumam ser revisados numa revisão preventiva. Todos eles são essenciais para o funcionamento de um automóvel. Confira alguns dos recursos checados neste tipo de manutenção:

Freios – discos, tambores, pastilhas e fluidos de freio são verificados. No caso dos três primeiros itens, a revisão deve acontecer a cada 10 mil quilômetros. Já no quarto e último item, a substituição deve ser realizada, em média, a cada um ano.

Óleo lubrificante – como citamos acima, o óleo lubrificante do motor é extremamente importante e deve ser trocado também a cada 10 mil km junto dele, o filtro de óleo . A lista inclui ainda o óleo lubrificante da direção hidráulica e da transmissão, por exemplo.

Velas – as velas são responsáveis pela queima do combustível dentro das câmaras de combustão. Elas promovem uma faísca que dá início a explosão, que impulsiona os pistões e movimenta o motor.

Suspensão – como você deve imaginar, a suspensão é amplamente afetada pelos buracos e irregularidades constantes em nossas ruas. Eles podem deslocar os pontos de fixação do ponto inicial do conjunto de suspensão; afetando diretamente a dirigibilidade do veículo e o conforto dos ocupantes. É preciso checar os amortecedores; molas; coxins; batentes; bieletas; buchas; pivôs; bandejas; braços axiais e terminais.

Rodas e pneus – o pneu é o único tipo de item do veículo que tem contato diretamente com o solo. Logo, ele é o responsável pela locomoção do carro; assim como as rodas, que formam o conjunto. Neste caso, deve-se realizar o balanceamento e alinhamento do aparato para garantir a estabilidade e dirigibilidade do carro e ainda evitar desgastes nos pneus.

Fora isso, lembre-se sempre de calibrar os pneus ao menos duas vezes por mês e sempre quando necessário. Inclua também o estepe nessa!

Filtros – além do filtro de óleo, o carro é dotado ainda do filtro de ar; do filtro de ar-condicionado e do filtro de combustível.

No caso do filtro de ar, ele é capaz de eliminar pequenas partículas e impurezas do ar externo antes que ele entre no conjunto para promover a mistura de ar/combustível. Não há um tempo estipulado para a substituição do filtro de ar, já que pode variar para mais ou para menos conforme às condições nas quais o carro é submetido – se ele andar bastante na terra, por exemplo, o intervalo será menor. O recomendado é verificar o estado do filtro a cada 5 mil ou 10 mil km.

Já o filtro de ar-condicionado, como o próprio nome indica, faz parte do sistema de ar-condicionado da cabine do carro e serve para reter as impurezas do ar antes que ele chegue à cabine do veículo. Também não há um prazo por quilometragem estimado para a troca deste item. O indicado é que ele seja verificado a cada seis meses.

Por fim, o filtro de combustível consegue evitar a passagem de sujeiras presentes no tanque do carro para o motor. Sendo assim, ele é de extrema importância e deve estar sempre em ótimo estado.

Quando devo levar o meu carro para fazer a revisão preventiva?

O ideal é que o seu automóvel dê uma passadinha na oficina para ser submetido a uma revisão preventiva a cada 10 mil km ou seis meses. Assim, você consegue checar a situação dos principais componentes antes que eles entrem num estado “crítico”; prevenindo dores de cabeça e ainda gastos desnecessários. Porém, se você for fazer uma viagem longa com o seu carro; também é importante que ele seja revisado.

O mais indicado é que você faça a revisão preventiva em uma oficina mecânica especializada, É importante ainda escolher uma oficina de confiança, como é o caso da Auto Hamamura. Somos autorizados Bosch e oferecemos serviços de qualidade e com garantia!

Quer agendar sua revisão preventiva? Clique aqui!