Monthly Archives

junho 2020

7 dicas para conservar seu carro e mantê-lo sempre novo.

By | Dicas

Você sabia que certos cuidados podem elevar a vida útil do seu veículo? Existem algumas manutenções simples, mas necessárias, que devemos realizar no dia a dia para evitar dores de cabeça e idas ao mecânico. Portanto, vamos conferir a seguir as sete dicas para conservar seu carro e mantê-lo sempre novo!

Não deixe o carro parado por muito tempo

Uma das indicações que envolvem a conservação do automóvel é não deixá-lo parado por um longo período. Mesmo se você não pretende usar seu carro, uma ótima dica é ligá-lo por um minuto. Caso não seja possível, a alternativa é encher o tanque e desligar os cabos de bateria. Isso também costuma dar conta do recado.

Fique atento ao limite de giros

Alguns automóveis têm conta de giros que, em sua grande parte, são em linha com faixa vermelha. A faixa é denominada de limite de corte. O sistema do veículo corta o giro para não quebrar por questões de segurança. E é aí que mora o perigo, já que alcançar esse nível pode causar um dano como, por exemplo, a falha de uma biela.

Confira a vida útil do óleo

O prazo do óleo é uma das dicas para conservar seu carro e mantê-lo sempre novo. Se ultrapassar o limite de quilometragem ou ainda exceder a vida útil indicada pelo fabricante, o óleo pode perder a capacidade de lubrificação. O resultado? Com o tempo ocorre um desgaste superior que reduz a eficácia do carro.

Troque os filtros de óleo, ar e combustível

É muito importante ressaltar que, quando acontece um desgaste destes itens, eles ficam sem sua função básica, a de filtrar. Dessa maneira, as impurezas podem alcançar o motor, afetando o funcionamento.

Lembrando que no filtro de ar qualquer resíduo pode riscar as paredes do cilindro e causar perda de compressão. E isso leva a vários outros danos que podem trazer transtornos para o proprietário do carro. Portanto, fique ligado ao funcionamento destas peças.

Atente-se para a manutenção do motor

Preste atenção a cada 30 mil quilômetros rodados. É necessário fazer uma manutenção da regulagem do motor do veículo. Verifique o estado atual de peças como as velas, filtros e os bicos injetores. Se você não tiver experiência no assunto, leve o automóvel a um mecânico de confiança para que ele possa conferir se está tudo certo.

Tenha cuidado com os freios

Os freios são muito mais que apenas pastilhas, pois envolvem a segurança do condutor e de todos os seus passageiros. Por isso, é essencial ter o máximo de cuidado com a peça. Não acelere muito ou faça paradas bruscas. Também é bom evitar descer em ponto morto.

Faça uma pintura nova

Se seu carro está com um grande desgaste, talvez a melhor opção seja investir em uma nova pintura. Dessa forma o automóvel fica com uma melhor aparência e ainda protege a máquina contra o risco de uma corrosão.

Manter o veículo conservado não é nada difícil. Com as nossas sugestões essa tarefa vai ficar muito mais fácil e você vai aumentar a vida útil de sua máquina.

Gostou das dicas para conservar seu carro sempre novo? Então compartilhe o artigo em suas redes sociais! Assim seus amigos também terão a oportunidade de conferir recomendações para a conservação do automóvel!

 

Pneu tem ou não tem prazo de validade? Descubra!

By | Dicas

Como qualquer produto manufaturado, o pneu tem uma vida útil. Com o tempo e a ação dos agentes climáticos (pressão, temperatura, umidade etc) seus componentes gradualmente perdem suas características mecânicas e físico-químicas originais. Entretanto, também como no caso de qualquer outro produto manufaturado, é praticamente impossível precisar sua data máxima de validade.

Por isso, as fabricantes reputam ser uma boa prática levar o pneu para a análise de um técnico especializado após cinco anos da data de sua produção e pelo menos uma vez por ano depois disso, além de evitar o uso do pneu após dez anos de sua fabricação.

Quanto tempo dura um pneu?
Não há como dizer com exatidão quanto tempo dura um pneu. A vida útil e a quilometragem de um pneu dependem de uma combinação de fatores: escultura, hábitos do motorista, clima, condições das vias e cuidados com os pneus.

Três dicas importantes
1. Tenha em mente o período de cinco anos
A partir de cinco anos de uso, os pneus devem passar por uma inspeção profissional minuciosa ao menos uma vez por ano.

2. O prazo máximo é dez anos
Se não houve reposição dos pneus dez anos após a data de fabricação, as fabricantes recomendam a troca por pneus novos como precaução, mesmo que pareçam estar em condições de uso e o indicador de desgaste da banda de rodagem não tenha sido atingido. Isso também se aplica aos estepes.

3. Manutenção adequada aumenta a vida útil do pneu
A devida atenção à calibragem dos pneus, desgaste da banda de rodagem, alinhamento, etc., pode prolongar sua vida útil.

Como saber quando meu pneu foi fabricado?
Data de fabricação e outras informações importantes sobre o pneu constam no chamado DOT. Composto por uma série de números e letras, com treze dígitos, ele é a “carteira de identidade do pneu”.

A fabricação do pneu consta no terceiro grupo de números do DOT, composto por quatro algarismos. Os dois primeiros informam a semana e os dois últimos o ano em que o pneu foi produzido.

Tamanho do pneu

O pneu também traz impressas outras informações importantes que o motorista deve observar na hora de trocá-los ao fim de sua vida útil. A primeira é a dimensão: os dados 185/55R16, por exemplo, significam, em ordem, a largura em milímetros, a altura em porcentagem e o diâmetro da roda em polegadas.

Capacidade de carga do pneu
Na sequência, está a descrição de serviço do pneu: 83V, indicando o índice de carga e o símbolo de velocidade. Na tabela de equivalência, esse conjunto de dados indica que ele é capaz de suportar até 487 kg a uma velocidade de 240 km/h.

Tipo do pneu
Estão ainda inseridas as indicações do tipo de construção do pneu: radial, tubeless (sem câmara) ou tube type (com câmara de ar).

Até o estepe

Pneus feitos há mais de uma década podem até aparentar estar em bom estado e com pouco desgaste, mas sua estrutura já está comprometida. A regra vale até para os estepes.

Embora nunca tenham rodado na estrada, eles foram submetidos à ação do tempo e da temperatura, os quais podem alterar suas características.

Além disso, se os fabricantes de pneus estabelecessem um prazo de validade definido, isso poderia dar ao usuário uma falsa sensação de segurança ao usar pneus que ainda não tenham atingido esse prazo.

Kit Relação? O que é? Qual momento certo devo trocar?

By | Dicas

Quem tem e ama a sua moto, sabe o quão importante é estar de olho nas revisões e manutenções, não é mesmo? Entre as peças fundamentais e que precisam de acompanhamento frequente está o kit relação.

A durabilidade do kit relação, também conhecido como transmissão secundária, não depende somente da marca das peças principais, mas também de uma boa manutenção, principalmente cuidar da limpeza, lubrificação e ajustes necessários com o tempo de uso.

Como especialistas no assunto e sempre trazendo dicas úteis aos profissionais mecânicos e proprietários dos veículos, preparamos este post com conselhos importantes de como identificar e trocar o kit relação de sua moto. Vamos conferir?

O que indica a hora de trocar o kit relação?

O kit relação da moto é formado pela coroa, corrente e pinhão, que precisam estar em dia para garantirem uma pilotagem sem surpresas. No entanto, como o tempo de uso e outros fatores adversos, esse conjunto de peças tende a desgastar e é preciso estar atento para saber a hora de trocá-lo.

A vida útil do kit relação de uma moto varia de acordo com diferentes fatores, como o estilo de pilotagem, a qualidade das peças, os problemas em outros componentes (como o câmbio, o quadro, a balança e a roda traseira), os cuidados com a limpeza e a lubrificação, manter a regulagem correta e até a região onde trafega a moto, entre outros fatores.

Para ajudar a identificar a hora certa de trocar o kit relação, fique de olho nesses primeiros sinais de problemas:

  • desgastes nos dentes do pinhão e da coroa,
  • corrente muito frouxa ou escapando,
  • ruídos ou trancos durante o funcionamento.

Como aumentar a vida útil do kit relação?

Apesar de o desgaste das peças ser muito variável, certos cuidados podem aumentar a vida útil do conjunto. Além de garantir mais segurança na pilotagem e melhor desempenho na pista, essas práticas ajudam a economizar com as manutenções corretivas:

  • fazer a limpeza periódica do conjunto,
  • ajustar a tensão de corrente,
  • manter a lubrificação em dia e usar a graxa certa,
  • respeitar os limites da moto e conduzir sem forçar o kit relação,
  • instalar peças de qualidade e de marcas reconhecidas.

Para facilitar esse trabalho, hoje existem produtos especiais (com sprays e escova) que fazem a limpeza e a lubrificação do kit relação em minutos. Também é interessante pedir uma “aula particular” para o seu mecânico sobre como conferir e ajustar a tensão da corrente.

Como fazer a troca do kit relação da moto?

Assim que identificar a necessidade de trocar o kit relação, visite a sua oficina de confiança e realize o serviço com qualidade, sem esperar aumentar o desgaste. Com esse cuidado preventivo você nunca ficará pelo caminho com a moto quebrada e também evitará que outros componentes acabem danificados.

Como especialistas no assunto, preparamos um vídeo completo com informações úteis sobre as peças que formam o kit relação, assim como o procedimento correto para troca do conjunto. Veja só!

Essas foram algumas dicas fundamentais sobre o kit relação da moto. Curtiu? Quer ficar por dentro de outras dicas e cuidar ainda mais do seu veículo? Então, siga as redes sociais da Auto Hamamura!