Monthly Archives

setembro 2019

Há quanto tempo você não confere a água do radiador?

By | Dicas

Verificar o nível de água do radiador com frequência deve ser uma preocupação constante do motorista, mas infelizmente muitos esquecem ou desconhecem a importância dessa ação. No momento de uma combustão, a temperatura do carro pode chegar a 3.000º C, e é justamente a água que passa entre o radiador e o motor que resfria o carro para evitar o superaquecimento, podendo até fundir o motor.

Para evitar problemas que podem pesar tanto no seu bolso quanto na sua segurança, entenda um pouco mais sobre o mecanismo de arrefecimento do motor e confira algumas dicas da Autotrac para deixar a manutenção do seu carango sempre em dia.

A maioria dos motores, hoje em dia, ainda utiliza água para refrigeração. De forma bem simples, o líquido percorre dutos que ligam o motor ao radiador, carregando o calor daquela peça para este componente. O sistema é composto por mangueira, radiador, ventoinha, bomba d’água, vaso de expansão, válvula termostática e um líquido que deve ser composto 50% por água desmineralizada e 50% por aditivo à base de etilenoglicol.

O processo de arrefecimento é responsável por estabilizar a temperatura de funcionamento do carro. O ideal é que não ultrapasse 90o C. Essa temperatura deixa o caro frio o suficiente para que as peças não derretam e quente o suficiente para o bom funcionamento do veículo.

Controle o nível de água do reservatório

É comum chegar ao posto e o frentista alertar os motoristas que a água do radiador está baixa. Se isso acontecer, não precisa se desesperar, é comum que o fluido oscile dentro do radiador, afinal a temperatura é tão alta que pode evaporar com o passar do tempo. Por isso é importante verificar semanalmente para conseguir diferenciar a perda normal da de um vazamento, por exemplo. Podemos considerar completar o líquido entre as marcas mínimo e máximo em até 200 ml por semana por conta dessas evaporações.

Caso o líquido esteja baixando muito além dessa quantidade por semana, pode existir um vazamento nas mangueiras, nos selos, nas juntas ou até mesmo na tampa do reservatório – no último caso, é preciso procurar um especialista para resolver o problema o mais rápido possível.

Atenção: cuidado na hora de conferir a água do motor. Meça sempre com o motor frio, pelo menos 10 minutos depois de desligar o veículo. Caso contrário, a água ainda pode estar circulando no sistema e você pode medir errado. E lembre-se de não abrir a tampa do reservatório enquanto ele estiver quente, pois o sistema é pressurizado e pode respingar água fervente se a tampa for aberta repentinamente.

Complete com água e aditivo

Se a água do reservatório estiver abaixo do nível mínimo, é preciso completar o reservatório. Mas você não deve utilizar apenas água, e sim uma mistura de água com o aditivo à base de monoetilenoglicol (substância que aumenta o ponto de ebulição e diminui o ponto de congelamento da água) – é recomendável trocar o aditivo a cada 30 mil quilômetros rodados ou um ano.

O ideal é completar com a proporção descrita no manual do veículo, mas, se você não tiver o manual, pode colocar na proporção de 50% de cada.

Agora que você já sabe a importância de manter o seu carro resfriado, temos mais uma dica para você. Conte com a ajuda da Auto Hamamura para manter a manutenção do seu carro em dia.

 

Como fazer a limpeza do seu ar condicionado?

By | Dicas

Assim como os demais componentes do veículo, o ar condicionado necessita de manutenção constante. A durabilidade do equipamento, o funcionamento do carro e a saúde do condutor e dos passageiros dependem diretamente dos cuidados com esse equipamento. Por isso, a limpeza de ar condicionado automotivo é fundamental!

Nada melhor do que dirigir um veículo com ar condicionado ligado, não é mesmo? Além do conforto térmico, trafegar com os vidros fechados aumenta a segurança dos ocupantes do veículo e diminui a inalação de poluentes. Mas, para desfrutar destes e de outros benefícios é necessário fazer a manutenção e higienização correta do ar condicionado automotivo.

Por que a limpeza do ar condicionado automotivo é importante?

É uma questão de saúde manter o sistema de climatização em perfeitas condições. Os proprietários de “carros de garagem” e motoristas que utilizam pouco o recurso também não devem esquecer de fazer a limpeza do ar condicionado automotivo. Com o passar do tempo, o acúmulo de poluição e sujeira no aparelho pode causar doenças respiratórias e crises alérgicas. Veja por que a manutenção e higienização é importante:

elimina fungos, ácaros e bactérias;
aumenta a vida útil das peças do ar condicionado;
reduz a corrosão e possíveis entupimentos;
previne vazamentos;
diminui o gasto de combustível (arrasto do veículo e sobrecargas do compressor);
garante o alcance da temperatura, umidade e ventilação desejada.

Quando realizar a manutenção do ar condicionado?

A manutenção e a limpeza de ar condicionado automotivo devem ser realizadas de acordo com as especificações do manual do fabricante. Geralmente, o indicado é a cada 30 mil km ou 6 meses.

Entretanto, em alguns casos, pode ser que manutenção seja necessária antes desse período. Sempre que for verificado mau cheiro, queda no rendimento de resfriamento, dificuldade de circulação de ar e/ou desconfortos respiratórios, o sistema deverá ser revisto.

Na hora da higienização e/ou manutenção, algumas peças devem ser verificadas. Quando há queda de rendimento, por exemplo, é aconselhável averiguar o funcionamento do compressor, do evaporador, nível de pressão e presença de vazamentos nas tubulações.

Já o filtro (filtro de cabine) deverá ser substituído quando necessário. Vale lembrar que a higienização do ar condicionado automotivo realizada adequadamente limpará todo o sistema, ou seja, passará pela maioria das peças responsáveis pela climatização.

Não se esqueça que o bom funcionamento do ar condicionado do carro depende da utilização correta. Não exceda o limite de tempo de circulação de ar. Esporadicamente, ligue o ar quente para secar os dutos e não deixe o acessório inativo por muito tempo. Além disso, o ar deve ser ligado com o motor em baixas rotações e após a partida do veículo.

Prontinho! Agora conte com a Auto Hamamura para  realizar a limpeza do seu ar condicionado agende já seu serviço aqui. Siga nossas redes sociais e fique por dentro de outros conteúdos?

O que você não sabia ainda sobre o prazo da troca de óleo!

By | Dicas

Realizar a troca de óleo do carro é um dos passos mais básicos e essenciais para que ele alcance uma vida útil mais durável. Além de lubrificar as peças do motor, o óleo auxilia na limpeza e na manutenção da temperatura interna, além de gerar outros benefícios.

A importância de realizar essa troca de óleo no prazo ideal está em manter o carro funcionando de forma adequada mesmo que possua uma alta exigência devido ao excesso de uso, por exemplo.

Como funciona o óleo no motor do carro

Cada veículo possui algumas características específicas, como alguma reentrância em alguma peça chave, que consiga reter mais óleo e permita formar uma película lubrificante, mas de forma geral o óleo no motor de qualquer veículo vai atuar nas seguintes funções:

  • Lubrificar: quando o motor começa a funcionar, algumas peças, sejam elas móveis ou fixas, entram em contato e geram uma fricção. O óleo vai agir como um lubrificante e auxiliar para que o atrito entre elas não gere um desgaste excessivo das peças.
  • Refrigerar: enquanto lubrifica, o óleo consegue reter o calor que é gerado pelo atrito entre as peças e como está em movimento dentro do motor consegue distribuir esse calor de forma que a temperatura fique o mais estável possível.
  • Remover sujeiras: enquanto ele se movimenta, o óleo carrega consigo as sujeiras geradas pela combustão. Quando filtradas no filtro do óleo, o mesmo volta a circular dentro do motor e consegue realizar as suas outras funções.

O que pode acontecer se eu não trocar o óleo?

No caso mais grave você terá que recondicionar todo o motor por um alto custo, o que pode não sair por menos de R$ 2000,00 dependendo do modelo do seu veículo.

É um processo com consequências terríveis: caso a troca de óleo não seja feita no prazo correto, nem dos componentes diretamente ligados a ele, como o filtro de óleo, além da soma de “pequenos deslizes” como utilizar óleos misturados de procedência duvidosaesperar o carro emitir um alerta de que algo está errado com o nível do óleo e não fazer as checagens do nível do óleo no tempo certo, o motor corre um sério risco de ser totalmente danificado.

O carro mostra alguns sintomas quando o nível do óleo não está correto, como a produção de um barulho alto e rouco, devido à falta de lubrificação ou produção de uma fumaça preta revelando a queima dos componentes do motor. O que nos leva a outra dor de cabeça…

Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê no Artigo 231 que transitar com o veículo derramando, lançando ou arrastando sobre a via, combustível ou lubrificante que esteja utilizando, gera uma infração gravíssima em que o automóvel pode ser levado para retenção até que seja regularizado.

Outros artigos, como o 179 e o 181, também preveem a remoção do veículo e infração grave caso o carro apresente mau funcionamento devido a problemas gerados pela má manutenção da troca de óleo.

Portanto, não espere esses sintomas aparecerem! Realizar ações preventivas custa mais barato que tomar as medidas necessárias depois que o problema já está instalado.

Afinal, qual o prazo de troca de óleo do meu carro?

O correto é que você se mantenha atento ao Manual que o seu carro possui. Ninguém melhor que a empresa que fabricou seu carro para dizer quando será necessário realizar essa troca de óleo.

Normalmente, ela ocorre entre os 5.000 Km e 10.000 Km ou pelo tempo de uso, que são 6 meses, isso se o carro estiver em perfeitas condições.

Existem casos em que o bom senso que informa ao motorista quando realizar essa troca de óleo, no caso de carros que são usados em excesso, utilizados em situações extremas como rodar em vias muito poeirentas ou alagadiças.

Também estão incluídos nesses casos aqueles carros que passam muito tempo parados em engarrafamentos por exemplo, já que o motor do carro trabalha mesmo com o carro parado, ou seja, o óleo acaba sofrendo desgaste mesmo sem estar em funcionamento.

Agora, se você deseja realizar essa troca de óleo e precisa de um serviço de confiança, conte com a Auto Hamamura!  Aqui você encontra uma equipe técnica que presta os serviços da melhor qualidade: geometria, balanceamento, freios, troca de óleo, pneus, rodas, acessórios… confira a lista de serviços aqui. Agende seu horário pelo link aqui!

Forte abraço, Equipe Auto Hamamura ao seu dispor!

 

 

Qual a diferença entre o alinhamento comum e o 3D?

By | Dicas

Com o uso de computadores, processo 3D é mais prático e preciso.

Existem três tipos de alinhamento: o manual (ou óptico), o eletrônico computadorizado (ou a laser) e o 3D.

O manual é o mais antiquado, feito por canhões de luz que são presos às roda. Eles projetam um feixe luminoso num painel à frente do veículo, mostrando o quanto as rodas estão desalinhadas. No segundo processo, os canhões de luz são trocados por projetores a laser, dando mais rapidez e precisão ao serviço.

O sistema 3D é bem diferente: um sensor lê a posição de um refletor instalado em cada roda e mostra na tela do computador o desenho tridimensional de partes do veículo e a variação das medidas em relação ao padrão de fábrica.

Essa tecnologia aumenta a precisão e ainda reduz o risco de perda de calibração dos equipamentos, já que os sensores estão fixos e os refletores nas rodas não precisam de calibração. O técnico só precisa comparar o resultado obtido pelo programa, que traz instalado as medidas de vários modelos de carro e ainda mostra a correção a ser feita.

Setembro Amarelo: por que é tão relevante falar sobre a prevenção do suicídio?

By | Notícias

Conheça o movimento “Setembro Amarelo” e entenda a importância do diálogo para a prevenção do suicídio.

Os casos de suicídio têm aumentando no mundo todo. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), só no Brasil, a taxa de suicídios na população de 15 a 29 anos chegou a 5,6 por 100 mil habitantes em 2014. A organização ainda afirma que muitas pessoas ainda consideram essa hipótese e outras ainda podem ter obtido tentativas frustradas que não contam nas estatísticas. Por isso, contribuir com ações para auxiliar a prevenção do suicídio é muito importante.

Atualmente, a conscientização sobre a prevenção do suicídio é muito forte no chamado Setembro Amarelo, mês em que o assunto é tratado com mais ênfase.

Hoje, você vai entender melhor sobre a importância de se conversar sobre suicídio e como isso pode ajudar na prevenção.

O suicídio ainda é um tabu

O suicídio vem, essencialmente, de um estado depressivo, que, por sua vez, pode ser causado por inúmeros gatilhos: falta de dinheiro, solidão e problemas familiares são alguns dos fatores que podem levar a essa tragédia.

Mas, mesmo com os números de suicídios cada vez mais altos, o assunto ainda é considerado um tabu para muitas pessoas.

Tendo em vista que tirar a própria vida é uma decisão extrema para fugir do que é considerado um problema sem solução, a melhor forma de evitá-lo é detectar quando a possibilidade existe e agir a tempo.

A importância de falar sobre suicídio

É comum que os pais evitem falar sobre suicídio com os filhos, na tentativa de minimizar a importância percebida pelo adolescente de um determinado problema que observam, ou mesmo por que os filhos não dão abertura suficiente para que o assunto seja discutido.

Para se ter uma ideia do quão importante é falar sobre o tema, dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que o suicídio já é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos.

E não são só os adolescentes que não conversam sobre o assunto: pessoas de qualquer idade podem ter um bloqueio de falar sobre algo tão importante, como se abordar o assunto fosse deixá-lo em evidência na cabeça de quem está depressivo.

Porém, a conversa pode abrir caminhos que passam longe de “indicar uma possibilidade”, que seria o suicídio, para a pessoa que está passando por uma crise.

A conversa pode abrir novas perspectivas e até alertar a outra pessoa para tomar medidas mais drásticas para solucionar a situação.

Por isso é tão importante que a sociedade como um todo, família, amigos, escola e grupos de trabalho, esteja atenta aos menores sinais, disposta e preparada para discutir o tema e encaminhar a pessoa para um tratamento que a trará um novo olhar sobre a vida e a vontade de prosseguir.

Levar em conta os menores sinais pode fazer a diferença

Muitas vezes, o diálogo até acontece. Porém, quem ouve uma pessoa falar que não tem mais vontade de viver e que, muitas vezes, tem vontade de tirar a própria vida, pode acabar por não dar a atenção devida a essa fala tão séria.

Além de não ignorar esse tipo de fala, também é preciso ficar atento a outros sinais que são dados, que podem indicar a depressão e a vontade de se suicidar. Confira alguns dos sintomas que devem ser acompanhados e levados a sério:

  • Tristeza persistente;
  • postagens relacionadas a suicídio ou depressão profunda nas redes sociais;
  • perda de interesse em atividades que antes davam prazer;
  • fadiga;
  • falta de energia;
  • alteração no sono;
  • irritabilidade;
  • alterações no apetite;
  • choro sem razão aparente;
  • ideias de morte;
  • dores e sentimento de inutilidade.

O Setembro Amarelo e a difusão do assunto

O Setembro Amarelo é uma campanha iniciada pelo CVV (Centro de Valorização da Vida) que pretende dar mais visibilidade e orientar a maior quantidade possível de pessoas sobre a importância de falar sobre o suicídio.

Para atingir a população, são feitas ações de rua, como caminhadas e passeios de bicicleta que conscientizam as pessoas sobre a importância de conversar sobre o tema e procurar acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Se você conhece alguém que tem sintomas de depressão, fala frequentemente sobre morte ou apresenta algum dos comportamentos que abordamos acima, não hesite em procurar ajuda especializada.

Você pode salvar uma vida.

Agora que você já sabe mais sobre a importância do Setembro Amarelo e da prevenção do suicídio, que tal compartilhar esse post e deixar seus amigos cientes também?